Como prevenir a Osteoporose

Prevenção da Osteoporose

De acordo com a organização Mundial de Saúde (OMS), a prevenção da osteoporose define-se como a forma de impedir a perda de massa óssea na mulher recentemente menopáusica e ainda sem osteoporose – ou seja, na mulher com valores do índice T (T-Score) da densidade mineral óssea (DMO) entre -1 e -2,5 (osteopenia) e com risco aumentado de fratura. 

osso
No entanto, num sentido mais lato, a OMS reconhece que a melhor forma de lidar com a osteoporose é através da sua prevenção logo desde o nascimento e ao longo da vida. Algumas intervenções para maximizar e preservar a massa óssea têm múltiplos efeitos benéficos na saúde. Alterações na dieta e no estilo de vida – aumentar a ingestão de cálcio, deixar de fumar, reduzir o consumo de álcool (< 30 g por dia) – podem contribuir para prevenir a osteoporose e, potencialmente, diminuir de forma significativa a taxa de ocorrência de fraturas. O exercício físico também contribui para aumentar a DMO durante o crescimento e minimizar a perda óssea numa idade mais avançada. Quanto mais precocemente se adoptar um estilo de vida saudável, maiores os ganhos em DMO. No entanto, as alterações são benéficas em qualquer idade.

o-que-e-osteoporose

Fatores de risco para a osteoporose


De acordo com Brown JP e Josse RG os fatores de risco major (mais importantes) para a osteoporose são:

  • Idade superior a 65 anos
  • Fratura vertebral anterior
  • Fratura de fragilidade depois dos 40 anos
  • História de fratura da anca num dos progenitores
  • Terapêutica corticóide (cortisona) por via oral ou injetável com mais de 3 meses de duração
  • Menopausa precoce (< 40 anos)
  • Hipogonadismo (défice de hormonas sexuais)
  • Hiperparatiroidismo primário
  • Propensão para quedas aumentada



Como fatores de risco minor (menos importantes) para a osteoporose, os mesmo autores indicam:

  • Artrite reumatóide
  • História de hipertiroidismo clínico
  • Terapêutica crónica com anti-epilépticos
  • Baixo aporte de cálcio na dieta
  • Tabagismo (fumador)
  • Consumo excessivo de cafeína (> 2 chávenas por dia)
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas
  • Baixo peso (índice de massa corporal menor do que 19 kg/m2)
  • Perda de peso superior a 10% relativamente ao peso do indivíduo aos 25 anos
  • Imobilização prolongada

Fatores de risco para fraturas osteoporóticas


A investigação clínica identificou diversos fatores de risco para a ocorrência de fraturas osteoporóticas para além duma DMO reduzida. Embora alguns desses fatores de risco contribuam para uma DMO baixa, eles estão associados a um aumento do risco de fraturas independentemente desse efeito sobre a DMO. 

Fatores de risco não alteráveis:

  • Idade avançada 
  • História de fratura em idade adulta
  • História de fratura em parente de 1º grau
  • Raça caucasiana
  • Sexo feminino
  • Demência
  • Mau estado geral de saúde (não prevenível)


Fatores de risco alteráveis:

  • Fumador 
  • Baixo peso corporal
  • Deficiência em estrogénios
  • Reduzida ingestão de cálcio/vitamina D
  • Alcoolismo
  • Visão diminuída
  • Quedas recorrentes
  • Atividade física inadequada
  • Mau estado geral de saúde (prevenível) 

O risco associado a estes fatores de risco é aditivo, i.e quanto mais fatores de risco um indivíduo tiver, maior o risco de vir a sofrer fraturas osteoporóticas. A identificação dos indivíduos com risco mais elevado de desenvolver osteoporose e fraturas permite o diagnóstico precoce e, portanto, uma intervenção atempada.

Fonte: Roche

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *